portal de itaboraí servidor ouvidoria suporte ao servidor 2° via iptu 2017
publicada em 23 de fevereiro de 2017 por Prefeitura de Itaboraí
Controladoria e Saúde apresentam as contas do 3º quadrimestre de 2016
imprimir

33057959955_a90f078ff9_zA Controladoria e a Secretaria de Saúde do município de Itaboraí apresentaram, na manhã dessa quarta-feira (22/02), na Câmara Municipal Vereadores, a prestação de contas do 3º quadrimestre de 2016. O evento cumpre a lei 101/2000, Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) , que estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão  fiscal e dá outras providências.

A apresentação foi realizada para a população, para os vereadores que fazem parte da Comissão de Finanças e Orçamentos (Bil, Agnaldo Coutinho e Elber Corrêa), para os que fazem parte da Comissão Municipal de Saúde (Paulo Alves, Agnaldo Coutinho e Elber Corrêa) e demais vereadores.

Dentre os números expostos pelo controlador Joaquim Gama destaca-se o  índice de arrecadação em 57% do valor estimado para 2016, a extrapolação dos índices de despesas com a folha de pagamento exigidos pela LRF e a dívida deixada pelo antigo governo que chega a aproximadamente R$ 400 milhões.

O controlador destacou também a dependência da receita do município de transferências constitucionais, verbas oriundas do Governo do Estado e do Governo Federal. “Esse é um problema crônico de grande parte dos municípios”, disse.

Já na apresentação da Secretaria de Saúde haviam algumas inconsistências nas contas, que poderiam ser explicadas pelos arrestos que foram realizados no fim de 2016. No entanto, segundo o secretário de saúde, Emanuel Rocha, as contas com muitas incoerências ainda serão investigadas.

“Vamos analisar com calma as contas com disparidades e caso não se encaixe vamos auditar. Até hoje já temos três auditorias abertas, mas se for preciso abriremos mais”. afirmou o secretário.

No final da apresentação os vereadores realizaram questionamentos e demonstraram insatisfação sobre as contas apresentadas pela Saúde. Os representantes do Conselho Municipal de Saúde declararam que, assim como não aprovaram as contas de 2015, também não devem aprovar as contas da secretaria de 2016.

acesso restrito