PMI
PMI
Em 10 de setembro de 2018 por Comunicação / Prefeitura Municipal de Itaboraí
Itaboraí disponibiliza diagnóstico da tuberculose em até 12h

43875455874_44460c06a0_zNa cidade de Itaboraí, a população conta com uma ferramenta importante para o diagnóstico rápido de doenças, entre elas, a tuberculose. É no Laboratório Municipal de Saúde Pública, no Centro, que os exames são realizados e a doença diagnosticada, com no máximo, um dia.

A informação foi divulgada pelo Programa Municipal de Controle da Tuberculose em Itaboraí, que hoje, sai à frente de outros municípios quando o assunto é rapidez nos diagnósticos para a doença.

“Toda essa rapidez se dá a partir de esforços, parcerias e conquistas realizadas ao longo de anos com um trabalho sério e eficaz dento de Itaboraí. Assim equipamos nosso laboratório, conquistamos equipamentos modernos e eficazes, primordiais contra a tuberculose, como o teste rápido molecular”, comentou a coordenadora do programa, Maria José Fernandes.

Segundo ela, a cidade de Itaboraí está à frente de municípios vizinhos com relação à rapidez do diagnóstico porque precisam, muitas vezes, enviar as amostras para outras cidades, atrasando assim, o início do tratamento. Itaboraí realiza suas análises na próxima cidade, tendo até 72h para dar o resultado do exame ao paciente. Mas isso é entregue no mesmo dia, se o paciente realiza seus exames na parte da manhã ou no dia seguinte, se são realizados na parte da tarde, mas sempre com, no máximo, de 12h após a coleta.

43684494155_a880c96904_zEm um de seus equipamentos de auxílio rápido para o diagnóstico, um pequeno aparelho, mas muito eficiente, doado pelo Ministério da Saúde, vem potencializando o tratamento dos pacientes da cidade. É o teste rápido molecular, disponível gratuitamente, o exame detecta, além do DNA do bacilo causador da tuberculose, a resistência à rifampicina, principal medicamento para o tratamento da doença, em aproximadamente, duas horas e meia, trazendo agilidade ao diagnóstico.

Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS, a tuberculose continua  sendo a segunda doença infecciosa mais mortal no mundo, atrás apenas da Aids. De acordo com a OMS, no Brasil foram registrados 71 mil casos, o que coloca o país na 17ª posição em número de casos entre os 22 países de alta carga de tuberculose.

“Ao contrário do que muitos pensam, a tuberculose tem cura. Mas para que haja um controle efetivo da doença é indispensável que se detecte a tuberculose ativa e comece o tratamento, que é prolongado, com duração de no mínimo, seis meses. Após duas semanas tomando o medicamento não há mais a transmissão”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Júlio César Ambrósio, ressaltando que a cultura do escarro para realização do exame pode ser feito em todas as Unidades de Saúde da Família – USF.

29656000397_d2c43c4833_zA tuberculose afeta principalmente aos pulmões. A transmissão da doença acontece através do espirro, tosse ou fala de uma pessoa já contaminada. A infecção pela bactéria (Baciolo de Kock) da tuberculose é transmitida pelo ar, através de gotículas contendo o bacilo eliminadas pela expiração de pacientes com tuberculose pulmonar ativa. A pessoa que aspira os bacilos da tuberculose poderá adoecer ou não, dependendo da quantidade de bacilos aspirados e do seu sistema imunológico.

“Todas as pessoas que apresentam tosse com ou sem catarro por mais de três semanas, pode ser tuberculose, é preciso investigar. Febre, emagrecimento, perda de peso é um sinal de alerta. É necessário procurar a Unidade de Saúde da Família – USF, mais próximo da residência”, comentou a coordenadora do Programa Municipal de Combate a Tuberculose, Maria José Fernandes, lembrando ainda que o tratamento está disponível gratuitamente em todas as USFs, além do Ambulatório Central, localizado na Rua Desembargador Ferreira Pinto, nº 9, Centro.

Por Marcely Figueiredo 

Portal Oficial da Prefeitura Municipal de Itaboraí
Praça Marechal Floriano Peixoto, 97 - Centro, Itaboraí - RJ, 24800-165
©2018 - Desenvolvido por Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Sustentável